Dia Mundial da Prevenção do Suicídio

Hoje, Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, não quero deixar de salientar o facto de ser entre a população LGBT jovem que se encontra o maior risco para a ocorrência de suicídio, não se encontrando em funcionamento no nosso país qualquer departamento de saúde, de acção ou aconselhamento social que possa ser de ajuda para estes jovens e para as suas famílias.

É entre a camada da população jovem de orientação LGBT que se verifica um potencial para o suicídio deveras assustador, em que as probabilidades de recurso ao suicídio são até quatro vezes mais elevadas se comparadas com jovens heterossexuais dentro dos mesmos escalões de idade (entre os 13 e os 25).

Um estudo realizado em 2009,  “Family Rejection as a Predictor of Negative Health Outcomes” liderado pelo Dr. Caitlin Ryan e conduzido como parte do “Projecto de Aceitação Familiar da Universidade do estado de S. Francisco” mostra que a probabilidade de uma tentativa de suicídio é 8,4 vezes superior entre os adolescentes rejeitados pelas suas famílias pelo facto de serem LGBT.

De salientar ainda o facto de que para cada suicídio efectivamente consumado por um jovem, se estimar que são feitas entre 100 a 200 tentativas de suicídio não registadas (2003 Youth Risk Behavior Surveillance Survey).

O suicídio entre esta camada da população tem origem essencialmente na rejeição familiar e social a que estes indivíduos estão sujeitos, mas não é o único problema. A rejeição está também na base de outros problemas de saúde sérios do foro psicológico e físico sendo que entre estes jovens se verifica também uma enorme apetência para consumo de substâncias químicas, álcool e tabaco.

É urgente que a sociedade em geral e as famílias em particular sejam educadas e ajudadas a lidar com os seus filhos LGBT para que o estigma e a rejeição possam ser verdadeiramente ultrapassados.

O que vai na feira…

Interpretar literalmente

Aqueles que levantam a voz contra o casamento gay apelando  à interpretação literal de citações do velho testamento, tem de estar preparados para responder a outras questões levantadas por outras passagens.

Não é só pegar nas passagens que interessam para fazer prevalecer uma opinião ou para fazer passar um determinado ponto de vista como tantas vezes lemos e ouvimos por aí.

Em geral, a passagem mais citada nestes casos é Levítico 18:22: «Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é;».

E, caso algum leitor que não goste de mulheres fique na dúvida, a Bíblia também proíbe que um homem se deite com qualquer outro animal :«Nem te deitarás com um animal, para te contaminares com ele; nem a mulher se porá perante um animal, para ajuntar-se com ele; confusão é.» [Levítico 18:23].

Suponho que o género do outro animal seja indiferente…

Curiosamente, quando a questão da homossexualidade e do casamento é levantada, a discussão tende a referir-se quase exclusivamente à homossexualidade masculina, e é aqui que enquanto lésbica me surgem algumas duvidas…

Será então que, no que diz respeito à homossexualidade feminina, o Velho Testamento tem alguma indicação sobre esta vertente?

Sabemos que a mulher não se pode “deitar” com um cavalo, ou um hamster. Mas e com uma outra mulher? Será também uma abominação, embora não tenhamos palavras sagradas para nos orientar? Certamente que os muitos filmes porno de sexo lésbico (quase sempre dirigidos ao publico masculino) vem demonstrar que o acto é possível… mas é condenável, ou não?

Haja alguém que me ilumine.

Sobre estas e outras questões, deixo-vos aqui um fragmento excelente de um episódio da série televisiva chamada “Os Homens do Presidente” e vejam a forma  como Bartlett (o presidente dos EU na série) “responde” a uma evangelista que interpreta literalmente a Bíblia.

«cura homossexualidade»…

Ainda há disto aqui ao lado… Será que por cá também temos?

As autoridades espanholas estão a investigar uma clínica de Barcelona que realiza tratamentos para «curar a homossexualidade», avança a agência Europa Press.

Segundo a mesma fonte, as autoridades de saúde vão agora recolher informação para saber e impõem ou não sanções à Policlínica Tibidabo.

Apesar de as directrizes internacionais e espanholas terem excluído a homossexualidade da lista das doenças e transtornos mentais, são muitos os médicos que continuam a defender o contrário. Em Espanha, dizer que a homossexualidade é uma doença e apresentar aos doentes uma solução médica é considerado mau exercício da profissão.

Segundo o jornal espanhola «El Periódico», o psiquiatra da Policlínica Tibidabo, em Barcelona, é um dos que procura soluções médicas para a doença. «Ninguém quer ser homossexual. Se pudessem tomar uma pastilha para deixar de o ser, 99 por cento das pessoas tomava», afirmou ao jornal.

Apesar de ainda não terem recebido nenhuma queixa, as autoridades sanitárias estão agora a investigar o caso.

in: IOL

~The Paradox of Our Life~

“The paradox of our time in history is that we have taller buildings but shorter tempers, wider highways, but narrower viewpoints. We spend more, but have less, we buy more, but enjoy less. We have bigger houses and smaller families, more conveniences, but less time. We have more degrees but less sense, more knowledge, but less judgment, more experts, yet more problems, more medicine, but less wellness. We drink too much, smoke too much, spend too recklessly, laugh too little, drive too fast, get too angry, stay up too late, get up too tired, read too little, watch TV too much, and pray too seldom. We have multiplied our possessions, but reduced our values. We talk too much, love too seldom, and hate too often. We’ve learned how to make a living, but not a life. We’ve added years to life not life to years. We’ve been all the way to the moon and back, but have trouble crossing the street to meet a new neighbour. We conquered outer space but not inner space. We’ve done larger things, but not better things. We’ve cleaned up the air, but polluted the soul. We’ve conquered the atom,but not our prejudice. We write more, but learn less. We plan more, but accomplish less. We’ve learned to rush, but not to wait. We build more computers to hold more information, to produce more copies than ever, but we communicate less and less. These are the times of fast foods and slow digestion, big men and small character, steep profits and shallow relationships. These are the days of two incomes but more divorce, fancier houses, but broken homes. These are days of quick trips, disposable diapers, throw awaymorality, one night stands, overweight bodies, and pills that do everything from cheer, to quiet, to kill. It is a time when there is much in the showroom window and nothing in the stockroom. A time when technology can bring this letter to you, and a time when you can choose either to share this insight, or to just hit delete… Remember, to spend some time with your loved ones, because they are not going to be around forever. Remember, say a kind word to someone who looks up to you in awe, because that little person soon will grow up and leave your side. Remember, to give a warm hug to the one next to you, because that is the only treasure you can give with your heart and it doesn’t cost a cent. Remember, to say, “I love you” to your partner and your loved ones, but most of all mean it. A kiss and an embrace will mend hurt when it comes from deep inside of you. Remember to hold hands and cherish the moment for someday that person might not be there again. Give time to love, give time to speak! And give time to share the precious thoughts in your mind. AND ALWAYS REMEMBER: Life is not measured by the number of breaths we take, but by the moments that take our breath away.”

~ Bob Moorehead~

Mensagem de amor

Sempre sonhei ter um jardim onde tivesse muitas roseiras
e que eu pudesse colher muitas rosas, felizmente encontrei o FarmVille!

😛

A dica do Bombom


Agosto 2016
M T W T F S S
« Sep    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Creative Commons

Creative Commons License

Email me!

lqsa . wordpress @ gmail . com


Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.